Todo preconceito é burro

Alguns posts atrás abordei um exemplo capaz de elevar, a vida do maestro João Carlos Martins.

Hoje trago o oposto. Um comentário que me deixou pra baixo e ficou entalado na minha garganta, por isso o desabafo.

Uma pessoa passou pelo meu caminho e fez a seguinte afirmação:

“Ainda bem que você está de preto, não com um preto“.

Respirei fundo e fiquei com um gosto amargo na garganta, uma sensação de tristeza, revolta e pesar.

Milhões de coisas passaram pela minha cabeça, mas minha revolta foi aplacada por uma frase iluminada do filósofo iluminista Voltaire:

“Posso não concordar com uma palavra do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”.

Optei por um eloquente silêncio e uma providencial batida em retirada.

O que dizer diante de um comentário tão infeliz quanto este?

Será que eu deveria refazer o curso da história da humanidade  só para relembrar essa pessoa de todas as atrocidades resultantes de atitudes preconceituosas, segregacionistas e racistas?

Acredito que não é a cor da pele que determina o caráter de uma pessoa, mas a intensidade do brilho da alma.

Almas sem luz discriminam, julgam, apontam dedos, acreditam ser superiores, humilham, condenam, fofocam, matam, espancam e NÃO SÃO CAPAZES DE CONVIVER COM AS DIFERENÇAS.

Preconceito é crime, mas nem precisava ser.

Desconfio de uma sociedade em que seja necessária uma lei para determinar que se trate com dignidade um ser humano.

Atitudes de extrema violência, como a dos meninos responsáveis pela agressão do homossexual na Avenida Paulista, muitas vezes tem sua gênese em comentários aparentemente inofensivos como este que tive o desprazer de ouvir hoje.

Preconceito é fruto da burrice e da ignorância…e isso foi observado por Albert Einsten, que declarou:

“Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito”.

Francine Maria Carreira Marciano

Sobre blog Mosaico Prosaico

Advogada especialista em Direito do Consumidor, observadora, curiosa e aprendiz!
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

16 respostas para Todo preconceito é burro

  1. Felipe Santos disse:

    Antes do conceito já há algo enraizado na alma daquele que enxerga diferenças: a incapacidade de se enxergar.

  2. Perfeita observação, Felipe!
    A única forma de tolerar esse tipo de comportamento é ter piedade de tamanha cegueira.
    Cada pessoa tem um grau diferente de evolução…

  3. disse:

    Eu sou tao apaixonada pelas diferencas que conhecer todas elas mundo afora me causa ainda mais admiracao e um desejo gigante de continuar nesta caminhada!

    Bjo enorme!

  4. Paulo L. Miranda disse:

    Parabéns, Francine.
    Seu blog está muito bem montado e agradável visualmente.
    Prossiga irradiando bons fluidos através dele.

    • Obrigada Paulo!

      É um privilégio ter leitores de tamanho gabarito como você.
      Este blog é uma excelente oportunidade para discussão, debates, reflexões e para registrar todas nossas indignações, como já tivemos a oportunidade de conversar pessoalmente.

      Seja Bem-vindo!

  5. Bruno disse:

    O que mais me intriga é o fato de esse tipo de sentimento ser disseminado em um país profundamente influenciado pelas culturas afro e indígena.

    É impressionante, também, a forma como esse preconceito vem “embalado” em piadas, comentários sarcásticos e “brincadeiras”, de forma a não aparentar ser tão nocivo quanto realmente é.

    • Bem observado, Bruno!
      Parafraseando Martin Luther King:
      “Eu tenho um sonho. O sonho de ver os meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor da sua pele”.
      Obrigada pela visita ao MOSAICO PROSAICO!

  6. bhmachado disse:

    Pois é, bem lembrado…Luther King.
    Também fiz um blog (na verdade eu começo vários, depois não atualizo rs). Vamos ver se esse rola de dar certo.

    http://www.pensamentoimperfeito.wordpress.com

    Grande abraço.

  7. Edson Sélos disse:

    Sad but true.
    Não podemos esquecer que este é um preconceito clássico (tão preconceito como qualquer outro É CLARO!). Pois existem muitos outros. Preconceito contra o alto, o baixo, o gordo, o magro, o pobre, o rico, o deficiente, o fraco, o ignorante, a mulher, determinada profissão, contra a opção por determinando partido, contra opção sexual, contra opção de vida, religião, filosofia, cultura. Finalmente, na medida em que apontamos as diferenças do outro como uma justificativa para dizer que, em nome do bom senso, somos melhores/estamos certos, estamos pré-conceituando seus valores. Sei que toda generalização é burra, mas de uma forma geral somos todos hipócritas… forte não?? Mas isso me faz ser um otimista raro… há salvação… rsrs Imagine all the people… living for today… Imagine no countries and no religions too… lálálá… rs Quem sou eu para pré-conceituar todos os hipócritas… “pobre coitados”… rsrs

  8. bhmachado disse:

    Pegou firme no comentário Edson.
    Realmente, quem somos nós para pré-conceituar os hipócritas (ou até mesmo para rotulá-los como tal)?

    Grande abraço!

  9. Edson Sélos disse:

    acho que era a ansiedade (ou por este ano que estava nascendo, ou por aquele que estava se pondo)… mas já passou… rsrs independente de qualquer coisa, o importante é que o sol sempre nasce no dia seguinte, tanto faz se o dia seguinte será o último ou primeiro dia do ano…

    FELIZ ANO NOVO A TODOS!!!! PAZ/SAÚDE/SUCESSO e MENOS PRECONCEITO… Abraços…

    • Bravo garotos!!! Adorei o nível dos comentários!!!!
      Depois dessa discussão devo confessar que reconheci um preconceito em mim mesma…
      É mais fácil apontar os erros alheios e ficar cega para os meus próprios defeitos…

  10. bhmachado disse:

    Huuumm…sei lá! Há defeitos e defeitos, acredito.
    Alguns são toleráveis e “naturais”, vide que todos estamos sujeitos a falhar.
    Mas, algumas coisas, denotam falta de caráter…e o racismo é uma delas.

    A meu ver, a pessoa pode ser radical, poliana, fanática, mau humorada, ter chulé, unha encravado etc. Tudo isso pode ser tolerado e, a depender das circunstâncias, aceito.
    Menos o racismo. Racismo é demais.

  11. “Na essência somos iguais, nas diferenças nos respeitamos.” (Santo Agostinho)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s