Um anjo passou por mim.

Um dia um anjo passou por mim.

Veio na forma de uma mulher linda, com cabelos encaracolados e da cor do sol, olhos verdes. Era dona de uma ternura indescritível.

Eu tive o privilégio de chamá-la de Vó.

Ela tinha uma voz suave, mãos macias e quentinhas, apesar de todas as lutas que enfrentou na sua vida.

Era uma guerreira, mas só possuía as marcas da guerra na alma.

Ela tinha o poder de transformar suas dores em uma fonte inesgotável de amor.

Cozinhava as melhores comidas do mundo. O café dela era o mais cheiroso.

Contava historinhas lindas pra me fazer dormir.

Adorava reunir a família em volta da mesa. Ela tinha um método infalível: fazia a comida predileta de cada neto e convidava para um almoço especial. O convite era irrecusável.

Seu sorriso era incrivelmente lindo!!!!

Quando ela gargalhava, chacoalhava todo o corpo. Eu sempre amei isso nela.

A frase que sempre ouvia de sua boca era “que lindo”.  Ela amava a vida!!!

Ela me ensinou a rezar, a ler a Bíblia. Foi minha professora de catecismo.

Aprendi com ela que havia um Deus amigo, com quem eu sempre poderia contar em todos os momentos da minha vida.

E que eu poderia ser Deus na vida das pessoas através da doação, respeito, amor e ajuda aos necessitados, atitudes essas que nos mostrava concretamente através dos seus atos e exemplos.

As portas da casa dela estavam sempre abertas. Ela adorava doar  tudo o que tinha. Por isso tomávamos o cuidado de não esquecer nada na casa dela.  Se tentássemos obter informações sobre nossas coisas deixadas (que ela doava sem dó) a resposta era: “Filha, você tem tanta coisa…(lição de desapego).

Deixava claro que eu devia respeitar as pessoas, amar os meus semelhantes e aceitar as diferenças.

Com ela aprendi o valor de uma amizade, de um abraço, da demonstração de carinho sem medida.

Nunca vi meu anjo fraquejar, murmurar ou reclamar.

Já a vi chorar, mas não via fraqueza em seu choro.

Presenciei medo em seus olhos algumas vezes (e isso é humano), mas via confiança e determinação mesmo diante das adversidades.

Quando soube que ela havia partido, uma imagem muito significativa veio em minha mente.

Lembrei de quando eu era criança. Eu tinha o costume de dormir no sofá da casa dela e meu pai me levava nos braços para a minha casa.

Aí pensei: meu anjo dormiu e o Pai veio buscá-la.

Saudade é o amor que fica.

Obrigada Vó Isola pela vida bonita que você teve, pelas lições que você me ensinou, pelas sementes de amor que plantou em seu caminho.

Que bom que existe saudade.

O amor que ficou em nós é ETERNO.

Descanse em PAZ aí na sua nova morada, MEU ANJO DOS CACHINHOS DOURADOS, pois aqui você já cumpriu com maestria sua missão.

(Dia 22 de maio minha avó completaria 88 anos de idade).

Francine Maria Carreira Marciano

Sobre blog Mosaico Prosaico

Advogada especialista em Direito do Consumidor, observadora, curiosa e aprendiz!
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

9 respostas para Um anjo passou por mim.

  1. Priscilla Marciano Zanfirov disse:

    Dizem que ser avó é ser mãe com açúcar. E como ela era açucarada….

    Sempre digo que a fase mais feliz da minha vida foi minha infância. E devo isso particularmente a duas pessoas: vó Isola e a Cá.

    A Fran já era “mocinha”, estava em outra fase com o Pipe. Já a Cá e eu curtimos ao máximo a vó Isola. Era uma delícia acordar com o cheirinho das mini pizzas preparadas especialmente pra nós e claro, com o chocolate quente com uma pitadiha de sal (esse era o segredo).

    Sem falar das caminhadas matinais que realizávamos com as sombrinhas improvisadas feitas com folhas de mamonas e as paradinhas em frente ao rio jogando pedrinhas pra “enfeitar as casinhas dos peixinhos”, como ela dizia…Quanta saudade!!

    Nunca fez qualquer distinção entre os netos. Pelo contrário, fazia com que as outras crianças se sentissem como se netos fossem, ou seja, únicos e especiais.

    Esses dias, enquanto fazia a minha filha Maria Rita dormir percebi que ela mexia as mãozinhas da mesma forma que a vó Isola fazia e pensei: “Deus permita que minha filha não tenha apenas a mesma mania com as mãos da minha avó, mas que tenha principalmente seu coração”!!

    Vó te amo!!

    Sua eterna “Pi”

  2. CAROLINE MARCIANO disse:

    Quanta saudade….Realmente fomos privilegiadas por ter essa pessoa maravilhosa para ser nossa avó!!! E que vó!!!

    Eu simplesmente amava dormir em sua casa – especialmente porque eu era a escolhida para dormir na sua cama e as minhas irmãs dormiam no chão.

    E o guardanapo com “franja” que eu e a Pri usávamos para fazer o nosso “cabelão”… era o melhor…

    As apresentações que, novamente eu e a Pri, fazíamos para todos na sua sala – a vó Isola ficava encantada e nós adorávamos dançar para ela…

    Sinto até hoje o cheiro do bolo “Cacazinha” – o nome do MEU bolo, afinal todos os netos tinham seu bolo predileto batizado com seu nome.

    Você faz muita falta em nossas vidas, principalmente porque eu gostaria muito que você passasse para os meus filhos os princípios que a nós foi ensinado.

    TE AMO ETERNAMENTE MINHA AVÓ!!!!

    SAUDADES…

  3. Bruno Machado disse:

    Coincidência…ontem, 17/05, minha avó Celeste completaria 93 anos.
    Ela faleceu em setembro do ano passado.
    Também tive ótimos momentos ao lado dela…

  4. Francine,

    Vc teve um “anjo que passou” eu fui acalentado por essa criatura divina chamada: mamãe.

    Ainda hoje conversávamos, Priscilla e eu, que quando da minha infância, mamãe trabalhava … trabalhava … em demasia como todas as “mães modernas” de hoje.

    Desse modo a atenção aos filhos fica em segundo plano. Sua atenção volta pra nós quando do evento doença …

    Quando tinha doze anos contraí sarampo e com isso veio a febre terrível.

    Mamãe, ao ver-me, simplesmente parou de fazer o que estava fazendo (trabalhando na cozinha do bar do meu pai para suprimento da “Festa do Divino”, maior evento da cidade, e foi dar atenção para mim.)

    Levou-me no médico, pra casa, deu maçã (acho que por isso que gosto tanto desta fruta …) enfim… cuidou como sempre cuidava, mas agora ela era só minha.

    Quando da sua aposentadoria pensei: mamãe poderá entrar em depressão, pois a final irá simplesmente parar …

    Abençoado engano!

    A aposentadoria veio na hora certa. Na hora de dar atenção para todos os filhos e principalmente para os netos, como bem relatado pela Francine.

    Bem filhas, peço ao Senhor Deus que vcs e seus filhos sigam o paradigma imprimido pela vó ISOLA VICHI MARCIANO, minha querida mamãe, que eu sempre considerei como “espécie em extinção”!

    Bjs.

    Aristeu José Marciano.

  5. Bruno Machado disse:

    Pô seu Aristeu…fiquei com um nó na garganta agora.
    É sério…rsrs

  6. bhmachado disse:

    Boa tarde,
    Passo para divulgar a atualização (sempre tardia) do blog Pensamento Imperfeito.

    Obrigado!

    http://www.pensamentoimperfeito.wordpress.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s